Secret Story

 

Ontem estava a assistir à gala de expulsão do Secret Story e eu que nem me emociono facilmente com as coisas (ironicamente falando), sinto-me triste com a situação do Cláudio.

Por algum motivo, posso saber um ou dois, mas desconheço a totalidade, ele "afastou-se" dos pais e nunca sentiu o carinho que um filho tem que sentir, pelo menos o que é de esperar.

 

Na verdade fui além disso e eu tenho, frequentemente, a capacidade de me colocar no lugar dos outros (o que nem sempre é bom) e vi-me por completo no lugar dele, fui mais além e comparei com aspectos da minha vida.

Hoje é um post que aborda temas mais pessoais, mas por vezes abrir as portas do coração ajuda. Quando eu nasci o meu pai era bem mais velho do que a minha mãe e embora nunca duvidasse de que ele gostasse de mim, ele nunca soube demonstrar isso da melhor forma, bastava um abraço. Com a minha mãe tenho uma relação muito forte que ao mesmo tempo pode ser usada como uma arma bélica e atacamo-nos um ao outro, fomos ao longo de muitos anos capazes de ficarmos na mesma casa semanas sem falarmos. Agora que estou distante não é tão frequente esta discussão (embora ainda aconteça), mas é complicado quando uma pessoa não entende que se queremos ser respeitados temos que respeitar e julga que apenas tem que ser respeitada!

 

Quando dizem que aquelas pessoas são o espelho do que se passa "aqui fora" em Portugal, é verdade! Mas além da inteligência (ou falta dela em alguns casos) existem sentimentos, relações e outras ligações, pelas quais nos podemos identificar e fazer-nos pensar um pouco no que andamos a fazer...

sinto-me: "Aliviado"
publicado por RM às 09:30 | link do post | comentar